Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal

Mapa do interior do Brasil entre a foz do Amazonas e São Paulo

 

Apresentação/Leitura paleográfica

 

 

Este mapa é uma cópia manuscrita feita a partir do primeiro mapa de Goiás – 1750 – elaborado por ordem de Ângelo dos Santos Cardoso, secretário do Governador de Goiás, Dom Marcos de Noronha, e também a partir do segundo mapa da Capitania de Goiás elaborado, em 1751, pelo geógrafo, cartógrafo e engenheiro militar, Francisco Tosi Colombina por solicitação do mesmo governador.

 

Isso é possível constatar pelo uso de textos de Tosi Colombina e por topônimos que só se encontram no primeiro mapa de Goiás, como: “Sobradinho”, “Corumbá”. Da lista dos “sítios” no mapa de Goiás de Ângelo dos Santos Cardoso, omite apenas o sítio “Barra” e acrescenta o sítio “Ilha Comprida”. Comparando com o de Tosi Colombina, acrescenta “Ilha Comprida” e “Missoens ou Aldeias dos P.P da Companhia de Castella proximamente erectas”.

 

Vários rios que estavam só delineados nos dois mapas usados como referências foram nomeados. Mas, não possuem elementos que nos permitam descrever o motivo específico pelo qual foi elaborado.

 

Para maiores informações sobre o contexto político, econômico e social em que os dois primeiros mapas de Goiás foram elaborados, sugerimos que se consulte o mapa n. 1 do acervo do Itamaraty e os mapas n. 20 e 21 do acervo correspondente ao AHEx – Arquivo Histórico do Exército, bem como o artigo do historiador Wilson Vieira Júnior, “Primeiros mapas da Capitania de Goiás”. (Cf. neste GUIA p. 32)

 

O autor desta cópia suprimiu o longo texto dirigido a Dom Marcos de Noronha (Conde dos Arcos), Governador da Capitania de Goiás, no qual Tosi Colombina descreve os motivos pelos quais elaborou o mapa, bem como os meios usados. E aproveitou somente o texto que, no original, recebe o título de “EXPLICAÇÃO”, no qual Tosi Colombina apresenta uma detalhada instrução de como o mapa deve ser lido: a rota para a Província de Goiás é apresentada como um caminho que vai da Vila de Santos – Província de São Paulo até o Centro-Oeste.

 

No trajeto, o cartógrafo assinala as rotas terrestres e pelos rios, individuando Vilas, Povoações, Roças, Sítios e Serras. Em alguns momentos, indica o número de dias aproximado de caminhada entre dois pontos da rota.

 

Contudo, não transcreveu literalmente a “EXPLICAÇÃO” elaborada por Tosi Colombina, aproveitando apenas algumas informações e sintetizando outras, o que resultou em um texto bastante confuso.

 

Em relação às Latitudes, o autor dessa cópia parece possuir melhores informações, pois, ao lado de alguns rios, faz observações a respeito dessas coordenadas. Assim, sobre o Rio Xingu, comenta: “Este rio Xingú supoemse chega athe 12 graos ao Sul e que tem as cabeceyras no caminho do Cuiabá para Goiyazes”. Para o Rio Guanapú afirma: “Naõ há nota de que este rio suba tanto asima”; “estas cabeceiras que se daõ ao Rio Guanapú

 

Leitura paleográfica:

Os puntinhos vermelhos denotaõ a derotta de Santos, S. Paulo, Ithú athé V.a Boa de Goyas; e d’esta athé a Natividade. Os puntinhos amarelos a/volta, que se fas para V.a Boa. Os pretos da Villa Boa athe o Cuyabá a derotta, e comunicaçaõ destas a villas, e do mato groço quando se vay por terra./Porque quando se vay em canoa, a maõ se deçe o Rio Cuyabá e dos Porrudos, e se sobe o Paraguay, e o Joru athé onde travessa o caminho de terra, o que/se segue deixando as canoas… os puntinhos pretos desde Araraytaguaba athe o Cuyabá pellos Rios Tiaté, Pardo, Camapoã, Cuxiim, Taquari, Paraguay/Chunér, Porrudos e Cuyabá, e os quais deçendo pella margem do Porrudos sobem em Paraguay, a Sapituba, denotaõ o caminho que fez Joaõ de Sousa de Azeve/do quando varou por terra athe o Rio Somidouro, pello qual decendo, e pello Rio Tapajós, e Amazonas foi ao gram Pará, donde voltando subio p.a o dito Amazo/nas, e Madera athe o Mato grosso… os puntinhos amarelos da V.a do Cuyabá, que sobem pela margem do dito rio, o atraverçam por terra athé dar no rio Preto, e no dos Arinos denotam a viagem de canoas, q. novam.te descobrisse, e faz communicavel a dita Villa com a cidade do Gram Pará… Os puntinhos pretos no/R. Tocantins, q. principiaõ onde saõ 2 sinais de sitios, q. começaõ as povoaçoens ou roças do Gram Pará denotaõ a viagem, q a gente da Nativid.e/embarcandose em canoas no pontal e feitose, a chegando em onze dias as ditas roças e destas athe os canais [ou?] como chamaõ Guarupés/em 2 dias, e por elles 3 dias, q tudo fazem 16 athe o Gram Pará; porem a subida impossivel, e a descida se fas em tem/po de chais: mais facil se poem a comunicaçaõ desta Villa com a cid.e do Gram Pará embacardo a 2 dias de viagem/ abaixo do Rio Vermelho, q entra no Rio Grd.e do cam.o de Cuyabá q com o nome de Araguaia entra no Tocantins/A sombra ou circulo amarello demarca a Capt.a de Goyas; nos cam.os q vem de S. Paulo a esta Villa e desta vaõ a/Nativid.e e voltaõ naõ se encontraõ matos de consideraçaõ, mais q o de Moggi na Comarca de S. Paulo, e o Matto/ grosso da Meia ponte nesta Capt.a que vaõ demarcados com arvoredos: os mais q se chama capoens por serem piquenos,/naõ se apontaõ: as terras, q se encontraõ estaõ demarcadas: os citios do cam.o de S. Paulo a esta Villa naõ estaõ/marquados, mas se apontaõ só os que se achaõ neste mappa em grande distancia do alistado.

  1. Santos
  2. S. Vicente
  3. Fortaleza da Barra de Santos
  4. Forte da Betioga
  5. Conceiçaõ
  6. Jaguapé
  7. Cananea
  8. S. Paolo
  9. Paranahiba
  10. Itú
  11. Araritaguaba
  12. Sorocaba
  13. Jundiahi
  14. Mogi
  15. Arrayal dos Bororos gov.do pello Corn.el Ant.o Pirez
  16. S. Cruz
  17. S. Luzia
  18. Meya Ponte
  19. Jaraguá
  20. Ouro Fino
  21. Ferreiro
  22. Villa Boa de Goayaz
  23. Anta
  24. Piloens
  25. Quirixas
  26. Guarinos
  27. Pilar ou Papoaam
  28. Agoa quente
  29. Trahiraz
  30. S. José
  31. S.a Rita
  32. Moquem
  33. Chapada de S. Gonçalo
  34. Morrinhos, ou Amaro Leite
  35. Corriola
  36. Carlos Marinho, ou S. Feliz
  37. Chapada de S. Feliz, ou de Carlos Marinho
  38. Cavalgante
  39. Paranã ou Itiquira
  40. Arraiaz
  41. Barra da Palma, ou terras novas
  42. Duro
  43. Natividade
  44. Pontal
  45. Descoberta do Carmo
  46. Missoens, ou Aldeias dos P.P. da Comp.a de
    Castella proxim.te erectas.
  47. Ilha Comprida

Referências:

1 – VIEIRA JÚNIOR, Wilson; SCHLEE, Andrey Rosenthal; BARBO, Lenora de Castro. Tosi Colombina, autor do primeiro mapa da Capitania de Goiás? XXIV Congresso Brasileiro de Cartografia – Aracaju/SE – Brasil, 16 a 20 de maio de 2010.

2 – FONTANA, Riccardo. Francesco Tosi Colombina: o cartógrafo do Brasil Central. Brasília: Ed. do Autor, 2009.

3 – BARBO, L. C.; SCHLEE, A. R. A cartografia histórica e os caminhos de ocupação do atual Distrito Federal, In: Anais do III Simpósio Luso-Brasileiro de Cartografia Histórica. Ouro Preto/MG, 2009.

4 – ALENCASTRE, José Martins Pereira de. Anais da Província de Goiás. Brasília, Ed. Gráfica Ipiranga Ltda. 1979.

Fonte – Biblioteca Pública de Évora

Medidas – 82 cm × 65 cm

Data – [1750-1800]

Localização – Gaveta IV – n. 32

Arquivo Público do Distrito Federal - Governo do Distrito Federal

ArPDF

Setor de Garagens Oficiais SGO
Qd. 05 Lote 23 - CEP: 70.610-650 Brasília/DF - Tel.: (61) 3361-7739 arquivopublico@arquivopublico.df.gov.br