Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal

Mapa do estado de Goiás

 

 

 

Apresentação/Leitura paleográfica

 

 

 

 

O autor, Frei Reginaldo Tournier, nasceu em Paris, França em 1880. Mais tarde, tornou-se religioso da Ordem dos Dominicanos. Na Diocese de Porto Nacional – no atual estado de Tocantins – foi professor do Colégio Sagrado Coração de Jesus, fundado em 1904 e do Seminário, fundado em 1925.

 

Na cidade de Goiás, antiga capital do estado de Goiás, foi um dos fundadores do Instituto Histórico e Geográfico de Goiás em 1933, além de ter sido escritor e membro de vários institutos históricos e geográficos da Europa e da América.1 “Estudou usos e costumes das populações sertanejas. Como agrônomo e veterinário, dirigiu as fazendas ‘Mato Grosso’ e ‘Benfica’, onde produzia animais de tração e montaria para as longas viagens realizadas pelos padres no território do atual estado de Tocantins. Como arquiteto construíu o sobrado do Seminário São José”.2

 

De 1912 a 1917, Frei Reginaldo Tournier foi nomeado Superior do Convento dos Dominicanos de Porto Nacional. Foi nesse período que, como correspondente do Instituto Histórico e Geográfico do Rio de Janeiro, elaborou o “Mapa do Estado de Goyaz”, publicado no governo de João Alves de Castro, em 1918. Como consta neste mapa que é “Propriedade do Estado de Goyaz”, supomos ser o primeiro mapa oficial daquele estado publicado por ocasião dos festejos do centenário da cidade de “Goyaz”, então capital daquele estado.

 

Ao representar o quadrilátero do “Distrito Federal”, é possível constatar que o mapa “organizado” por Frei Reginaldo Tournier apresenta os resultados dos estudos da Comissão Exploradora do Planalto Central do Brasil e da Comissão de Estudos da Nova Capital da União, chefiadas por Luiz Cruls, Diretor do Observatório Astronômico do Rio de Janeiro.

 

O mapa publicado neste GUIA é uma “Revisão” feita em 1922, pois como consta no texto ao pé do “Mappa”, nos limites com o estado de Minas Gerais, “seguiu-se o traçado estabelecido desde as antigas capitanias e reconhecido pelo Laudo Arbitral do Ex.mo Snr. Dr. Epitacio Pessôa, em 16 de Julho de 1922”.

 

A partir desse mapa foram publicados outros, sempre referenciados ao autor Frei Reginaldo Tournier, mas indicando que sofreu “reorganização”. Como exemplo, citemos o mapa que pertence a Biblioteca Nacional, publicado em 1938, onde consta a “Planta da Capital do Estado – Goiânia – A mais moderna das cidades brasileiras, idealizada e realizada pelo eminente Interventor Federal Doutor Pedro Ludovico Teixeira.”

 

Leitura paleográfica:

 

Mappa do Estado de Goyaz.

 

Organisado em 1918 (1° Centenario de Goyaz-cidade) por FR. REGINALDO TOURNIER MISSIONARIO DOMINICANO. Socio Correspondente do Instituto Historico-Geographico do Rio de Janeiro.

 

PLANTA DA CAPITAL

População da Capital 7.000 hab.

Escala – 1:15.000

 

LEGENDA

 

A – Palacio do Governo

B – Cathedral em construcção

C – Boa Morte – Actual Matriz

D – Quartel da Força Federal

E – Cadeia

F – Collegio Sta. Anna (Dominicanas)

G – Correio

H – Lyceu

I – Igreja S. Francisco

J – Mercado

K – Palacio Episcopal

L – Asylo S. Vicente de Paulo

M – Quartel da Força Policial

N – Intendencia Municipal

O – Igreja do Rosario (Dominicanos)

P – Tribunal da Relação

Q – Secretaria de Finanças

R – Hospital S. Pedro de Alcantara

S – Igreja S. Abbadia

T – Igreja do Carmo

T – Seminario Diocesano

U – Camara dos Deputados

V – Senado

X – Thezouro Federal

Y – Usina Electrica

Z – Cemiterio

1 – Chafariz principal

2 – Poço d’Agua Ferrea

3 – Poço Chapeu do Padre

4 – Chafariz da Carioca

5 – Casa da Polvora

6 – Matadouro

 

 

Observação sobre limites.

 

Os limites foram traçados de accordo com os direitos de Goyaz:

 

Com o Pará seguiu-se a demarcação do Ouvidor Segurado procedida em 23 de Agosto de 1810 e a lettra dos Alvarás de 18 de Março de 1809 e 25 de Fevereiro de 1814; com Matto Grosso observou-se a opinião de varios cartographos e acompanhando o parecer da Camara dos Deputados de 20 de Julho de 1864, mas o limite da lei é o constante do acto de accessão de 1° de Abril de 1771 que abrange todo o Rio das Mortes; com a Bahia conservou-se o antigo limite, reaffirmado no accordo celebrado entre os dous Estados em 1919; com Minas Geraes seguiu-se o traçado estabelecido desde as antigas Capitanias e reconhecido pelo Laudo Arbitral do Ex.mo Snr. Dr. Epitacio Pessôa, em 16 de Julho de 1922.

O Autor.

Rev. 1922

 

DADOS GEOGRAPHICOS

 

Superficie do Estado – 747.311 kilom.²

População – 511.919 hab.

Divisão Municipal – 49 Municipios

Divisão Judiciaria – 24 Comarcas – 49 Termos – 126 Districtos

Escala 1:2.000000

Propriedade do Estado de Goyaz.

Referências:

1 – GODINHO, Durval C. História de Porto Nacional. s/e, 1988.

2 – MARTINS, Mário Ribeiro. Dicionário Biobibliográfico de Goiás. Rio de Janeiro, Master, 1999, p. 977-978.

 

Fonte – Arquivo Histórico do Exército

Medidas – 69 cm × 108 cm.

Data – 1918

Localização – CO-GO-10.01.2066

 

Arquivo Público do Distrito Federal - Governo do Distrito Federal

ArPDF

Setor de Garagens Oficiais SGO
Qd. 05 Lote 23 - CEP: 70.610-650 Brasília/DF - Tel.: (61) 3361-7739 arquivopublico@arquivopublico.df.gov.br